Recepcionista de hostel: conheça alguns desafios da profissão que podem ser levados para a vida inteira

Recepcionista de hostel: conheça alguns desafios da profissão que podem ser levados para a vida inteira

O ditado é totalmente verdadeiro: de calmo e de louco, todo recepcionista de hostel tem um pouco. Isso pode ser vivido e testado diariamente ao comandar uma recepção de hostel. Mas não é preciso se assustar!

Com certeza, podemos afirmar que a experiência de trabalhar em uma recepção de hostel pode mudar sua vida – são diversas responsabilidades que te ensinam, no fim das contas, a ser um profissional e uma pessoa melhor.

Mas é claro, nem tudo são flores. Conheça alguns desafios e dicas da hqbeds para ser um bom recepcionista de hostel e se inspire na hora de trabalhar!

Todo dia é dia de sorrir (mesmo se quiser dar uma choradinha)

A boa prática da hospitalidade nos diz que simpatia e cordialidade são a base para conquistar hóspedes. Mas nem sempre é fácil sorrir. Quem trabalha com o público sabe o quanto é desafiador ser simpático quando se está passando por um momento difícil na esfera pessoal ou até mesmo profissional.

Mas o público não pode sofrer as consequências das tempestades da vida do atendente. Pelo contrário, ele deve se sentir bem recebido e acolhido, faça chuva ou faça sol. Especialmente tratando-se de hóspedes: pessoas que estão em viagem e que, literalmente, estão pagando para não se estressar e descansar.

Nesses momentos, quando dar um sorriso parecer ser um esforço comunal, o modo “Dia da Alegria” precisa ser ativado. 

É importante demonstrar alegria genuína ao atender um viajante, disfarçando o caos interior ou um coração apertado. Escutar música, nos intervalos, pode ajudar a levantar o astral e a espantar os males.

Muita calma nessa hora

Como em qualquer outra profissão, trabalhar em uma recepção de hostel pode nos colocar em diversas situações de estresse. Por isso, uma habilidade a ser trabalhada por todos os recepcionistas de hostel é a chamada “pinguim de Madagascar”.

Isso significa ser capaz de manter a calma e“sorrir e acenar” quando situações estão fugindo do seu controle. Ser um pinguim de Madagascar é não deixar transparecer traços de irritação, frustração ou até mesmo pânico.

É disfarçar enquanto desastres e loucuras regadas à caipirinha estão acontecendo ao redor. Acredite: é bem mais difícil do que parece. Faça como os pinguins: seja a calmaria no meio da tempestade.

Leia também: Saiba como aproveitar todas as oportunidades nos feriados em 2020

Mil e uma utilidades

Faustão deve ter se inspirado num recepcionista de hostel para criar o quadro: “Se vira nos 30”. Ele é ora agente de reservas, ora agente de viagens, ora camareiro, e até barman, se for necessário. Versatilidade e flexibilidade são características fundamentais para esse cargo.

Das atividades mais inusitadas, há situações em que a cozinha e alguns dormitórios começaram a alagar e pode acontecer de só você estar no local. Junte-se a isso o telefone que não para de tocar e pessoas no balcão querendo informações. Agora, tenta fazer tudo sorrindo. Quem disse que recepcionista tem vida fácil? Mas acredite, o reconhecimento dos hóspedes é gratificante!

hqbeds

Lost in translation?

Já citada acima, a habilidade técnica e ter fluência em mais de uma língua é primordial para a profissão, principalmente o inglês para recepcionista de hostel, mas essa habilidade não evita 100% algumas situações inusitadas.

Por exemplo, já me deparei com um grupo de chineses em que apenas uma pessoa falava inglês. Quando os outros iam até a recepção solicitar algo, tudo era entendido apenas no estilo “Imagem & Ação” 

Vida longa aos recepcionistas de hostel

A recepção é o coração do hostel. É por onde todas as veias pulsam: desde o financeiro até as reservas. O recepcionista é considerado a cara do hostel. É a primeira impressão deixada para o hóspede que acaba de chegar. Por isso, ser um bom recepcionista é fundamental para o sucesso de um meio de hospedagem.

Meu tempo trabalhando como recepcionista de hostel me trouxe bons frutos e inúmeras alegrias. E por já ter vestido essa camisa e passado pelas mesmas situações inusitadas, admiro muito quem tem a vocação e a dedicação para atuar nessa profissão.

São vários momentos descontraídos e divertidos, mas trabalhar como recepcionista de hostel é para poucos. É preciso ter jogo de cintura. E saber que seu hóspede está se sentindo em casa é a melhor parte.

E você, já passou por alguma situação inusitada trabalhando como recepcionista? Compartilhe com a gente nos comentários! E continue acompanhando os novos conteúdos da hqbeds

Imagens: Pexels.







Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Todos os direitos reservados a HQBeds Privacidade