Gestão de hostel na pandemia: 4 lições que estamos aprendendo

Gestão de hostel na pandemia: 4 lições que estamos aprendendo

As propriedades hosteleiras tendem a sofrer um grande impacto financeiro diante do contexto da pandemia da Sars-CoV-2

E é pensando na continuidade e sustentabilidade desse tipo de negócio para a retomada no futuro que precisamos observar o que o momento nos ensina. A gestão de hostel na pandemia – um cenário tão imprevisível – nos alerta para a necessidade de estarmos preparados financeiramente para situações sem precedentes.

Continue a leitura deste artigo e confira 4 lições para as quais os gestores de hostel devem ficar atentos!

1- Faça uma reserva financeira

Muitos donos de hostel acabaram enfrentando problemas financeiros enormes ou até mesmo tendo que fechar suas propriedades por não terem uma reserva financeira (ou fundo de emergência). 

Alguns empresários ainda achavam desnecessário, outros sequer pensaram nisso por desconhecimento. Mas há quem alegue ser impossível fazer reserva com o faturamento recorrente da propriedade, quando na verdade também podemos pensar sobre a falta de um planejamento financeiro mais robusto.

A função essencial do fundo de emergência é ser uma opção monetária para ser utilizada em caso de urgências que exijam um gasto imprevisível – como este que estamos lidando agora para realizar uma gestão de hostel na pandemia de forma sustentável -, ou para todo e qualquer motivo emergencial que possa surgir. 

A ideia da reserva financeira de emergência é evitar contrair dívidas e de recorrer a empréstimos e/ou cheque especial, aliviando assim as dores de cabeça futuras.

Especialistas falam que, a exemplo dessa pandemia, devemos ter uma reserva financeira para a sobrevivência das nossas empresas por, no mínimo, 6 meses.

O grande trunfo é que, de acordo com o retorno à normalidade, o gestor possa aportar pouco a pouco uma porcentagem dos seu faturamento para esse fundo, evitando futuros perrengues e o comprometimento da empresa.

 

2- Cuide mais da higiene do hostel e dos colaboradores

Quando acreditávamos que toda a tecnologia e medicamentos nos garantiriam uma vida cada vez mais longa, esquecemos que cuidados básicos de higiene, como lavar as mãos mais vezes ao dia, são práticas cruciais para evitar que espécies nocivas ao ser humano se propaguem. E os cuidados básicos devem se estender aos nossos hostels.

Por muitos anos, os hostels eram sinônimos de acomodação barata e, consequentemente, se presumia a falta de conforto, falta de higiene e desordem. No entanto, esse modelo de hospedagem vem se alterando ao longo dos últimos anos e os serviços de atendimento têm se diferenciado significativamente, hospedando pessoas com necessidades variadas de acomodação.

Ou seja, o conforto e a higiene são sim assunto de hostelaria. E com a pandemia do novo coronavírus, os hostels terão que focar ainda mais na limpeza de seus ambientes. Protocolos e ferramentas de higienização se tornam critério para os hóspedes que, diante do risco iminente, precisa escolher opções de acomodação que ofereçam maior segurança.

Cuidados com a higiene dos colaboradores são igualmente importantes. Todos deverão passar por treinamentos de boas práticas de higienização para que possam mudar seus processos e se adaptar à nova realidade do mercado.

 

3- Reinvente sua empresa sempre

Uma empresa engessada, que só possui um modelo de negócio, possui muito mais dificuldade para se adaptar às crises. Pelo menos quem está lidando com a gestão de hostel na pandemia já aprendeu essa lição.

Esta situação inesperada revela que os empreendedores que possuem jogo de cintura para fazer mudanças terão mais facilidade de sobrevivência no mercado.

Não é momento de exploração ou de gerar riquezas. É momento de solidariedade, mas ao mesmo tempo é um momento de inovação, de se reinventar e aplicar a frase: “enquanto uns choram, outros vendem lenços”.

Aproveita que o seu hostel está fechado ou com poucos hóspedes e pense em algum outro tipo de serviço ou produto que você pode oferecer ali. Muitos hostels mudaram o seu modelo de negócio e iniciaram serviço de delivery, venda de marmitas, ou um novo produto. Com criatividade e força de vontade, você pode dar a volta por cima nos momentos críticos e se reinventar.

 

4- Use a tecnologia como sua aliada

Ainda que muitos hosteleiros ainda sejam adeptos ao “caderninho”, planilhas de excel e agendas online, sabemos que existem no mercado ferramentas que ajudam o hostel a ser mais profissional, eficiente e rentável.

A pandemia fortaleceu o caráter facilitador do digital nos processos empresariais, deixando evidente que ele pode melhorar nossos negócios gerando mais controle sobre as operações em qualquer lugar que os profissionais estiverem.

Não à toa, muitos proprietários tiveram que trabalhar em home office para dar continuidade à gestão de hostel em tempos de pandemia. Isso prova que a tecnologia é útil, principalmente, para flexibilidade e adaptabilidade dos negócios aos cenários.

Para hostels, a boa notícia é que existem ferramentas que facilitam a gestão em tempos de pandemia e com funcionalidades que podem ajudar a reduzir a necessidade de contato físico entre o hóspede e o recepcionista, diminuindo as possibilidades de uma infecção. Exemplo são as ferramentas de check in online e de pagamento automatizado disponíveis no mercado. 

Esse cenário também acaba por inspirar os próprios desenvolvedores de ferramentas que, atentos às lições da pandemia, devem lançar mais funcionalidades que auxiliem gestores e empresas.

Gostou do nosso artigo? Indique outras lições que você tem observado e que prometem auxiliar na gestão de hostel na pandemia e até depois dela. Aproveite e baixe também o nosso ebook baixar o nosso Guia para Projeção Financeira na Pandemia.








Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Todos os direitos reservados a HQBeds Privacidade