As pessoas não param de viajar durante a pandemia, e agora?

As pessoas não param de viajar durante a pandemia, e agora?

Ainda que muitos estados e cidades tenham optado pela quarentena, muitas pessoas ainda precisam viajar e se hospedar, por inúmeros motivos. Existem pessoas que continuam viajando a trabalho, outras que viajam em busca de tratamento de saúde em centros maiores. E ainda existem os casos em que as pessoas residem nos hostels, ou fizeram contratos de longa permanência.

Em qualquer um dos casos, o estabelecimento que recebe um cliente possui grande responsabilidade no serviço que está oferecendo. Por isso, deve adotar procedimentos para lidar com os hóspedes que ainda ficaram na casa, e, principalmente, com aqueles que possuem suspeita do Covid-19. Afinal, se a pessoa é moradora do hostel, o isolamento domiciliar significa se isolar dentro do seu hostel.

Para ajudar os hosteleiros a enfrentarem esse grande desafio que se apresenta, separamos algumas orientações e dicas úteis para serem utilizadas nesse período.

Quais devem ser os cuidados com a equipe do hostel

Estabeleça uma rotina de segurança e faça treinamentos com seus colaboradores, visando a segurança da equipe e dos seus hóspedes na pandemia. Um exemplo de rotina de segurança que pode ser adotado:

  • Chegada ao trabalho: higienizar a mão com água e sabão (conforme recomendação de pelo menos 20 segundos e lavando bem todas as áreas da mão e pulso) ou álcool gel;
  • Medir temperatura, limpando o termômetro com álcool gel antes e depois do uso;
  • Vestir máscaras e luvas;
  • Evitar ao máximo o contato físico com outras pessoas;
  • Não colocar os dedos (mesmo com luvas ou máscaras) nos olhos, nariz, boca, orelhas (qualquer área do rosto);
  • Manter também as luvas lavadas com água e sabão ou álcool gel;
  • Sempre manter distância mínima de 2m dos demais colegas de trabalho;
  • Não compartilhar comida, bebidas, sendo em canudo ou copo. Cada um deve utilizar o próprio copo, talher, prato;
  • Se as máscaras forem laváveis, ao final do dia, lavar as máscaras com sabão ou em solução de água sanitária, deixando de molho;
  • Lavar as roupas usadas no dia, não reutilizar o uniforme no dia seguinte.

É importante também conscientizar sua equipe para manter a higiene pessoal também em casa, sempre lavando as mãos e tendo os cuidados necessários, e estendê-los aos seus familiares e amigos, pois eles podem se tornar vetores da doença.

Caso algum funcionário apresente algum sintoma, seja síndrome gripal, tosse ou febre, você deve dispensá-lo e instruí-lo a procurar imediatamente um serviço médico.

Como realizar a limpeza do hostel em tempos de pandemia

O momento exige cuidados especiais de limpeza das áreas sociais e das acomodações. Não há necessidade de investimento em produtos caros. O “Technical Brief”, material divulgado pela Organização Mundial de Saúde (OMS), aponta que basicamente a diluição de uma pequena quantidade de água sanitária em água potável demonstrou ser capaz de eliminar o novo coronavírus.

Apenas mudando a concentração, é possível dar diferentes usos ao produto. A única recomendação na hora de comprar a água sanitária é que o princípio de cloro ativo seja de 2% a 2,5%.

Uma solução para ser usada na limpeza é: optar como medida um copinho de café, de 50 ml, utilizando metade dessa quantia (25 ml dissolvida em um litro de água para obter uma solução capaz de eliminar o coronavírus da superfície de pisos, mesas, maçanetas, chaves, embalagens e produtos trazidos do supermercado, por exemplo.

Higiene de áreas comuns:

  • Espalhar álcool gel (70%) nas dependências do hostel;
  • Maior atenção e rigor em limpezas de áreas como banheiros compartilhados, hall, recepção, bar, lanchonete, refeitório;
  • Maior cuidado na lavagem dos utensílios de cozinha. Em hostels, onde os próprios hóspedes lavam seus utensílios, fazer recomendações para cuidado extra em relação à higienização dos utensílios;
  • Limpeza constante de maçanetas, corrimões, balcões, botões de elevadores e similares;
  • Limpeza de pisos em geral com a mistura de água sanitária;
  • Evitar uso de ar condicionado e manter os ambientes comuns sempre abertos e arejados.

Higiene de quartos em geral:

  • Realizar uma faxina reforçada diariamente em todos os quartos, e com produtos adequados para desinfecção das acomodações;
  • Limpar e desinfetar diariamente controles remotos, interruptores, botões, telefones e outros objetos que os hóspedes podem tocar nas acomodações;
  • Ter maior cuidado ao manusear roupa de cama e banho dos hóspedes na pandemia. Sempre manusear com luva e tomar os cuidados para não ter contato direto. Estabelecer processos mais rigorosos, como por exemplo a imediata colocação das roupas de cama em bolsas plásticas após a retirada.

Manutenção de quartos com pessoas em isolamento:

Infelizmente, alguns estabelecimentos terão casos de pessoas contaminadas ou em investigação. Nesses casos, você deve ser muito mais cuidadoso.
O médico infectologista da Secretaria de Saúde, Eduardo Hage, divulgou algumas recomendações:

  • Ao entrar e ao sair do quarto onde estão hospedadas essas pessoas, é necessário que seja feita a limpeza das mãos com álcool em gel ou com água e sabão;
  • Recomenda-se que os funcionários que venham a ter contato com os hóspedes ou seu ambiente de moradia utilizem máscara cirúrgica e luvas. Como pode haver manipulação de lençóis e fronhas em serviço de limpeza de quarto, há possibilidade de contato com secreções dos hóspedes;
  • É recomendável a lavagem da roupa de cama e banho dessas pessoas por separado;
  • Os funcionários devem ser tranquilizados de que eles não precisam ter medo de adentrar no quarto. O contato com o ar daquele quarto não possibilita a infecção. A contaminação só se dá por contato direto com a pessoa, com as superfícies ou contato direto com a secreção das pessoas.

Funcionários que tiveram contato com casos suspeitos ou confirmados, se não apresentam sintoma e tiveram esse contato de forma protegida, podem seguir trabalhando normalmente e ter o cuidado de observar o surgimento de sintomas.

Não encontro álcool gel, o que fazer?

Na falta de álcool gel, a limpeza com água e sabão é igualmente recomendada. Basta seguir as recomendações de lavagem por 20 segundos, esfregando bem todas as partes das mãos e punhos. Mas a mesma solução de água e água sanitária informada anteriormente também pode ser utilizada para a desinfecção das mãos, apenas tomando o cuidado de utilizar com menor frequência que o álcool gel ou água e sabão, pois a água sanitária em excesso pode causar dermatites na pele.

Quais cuidados manter em quartos compartilhados

Uma das maiores preocupações dos donos de hostel que ainda estão operando é referente aos quartos compartilhados.
A recomendação geral é o afastamento de pessoas em 2m de distância uma das outras, mas existem acomodações que não proporcionam esse tipo de espaçamento.

O cenário ideal é que os hostels diminuam a capacidade dos seus quartos, fazendo valer a recomendação do afastamento. Não é hora de pensar em lucrar, e sim pensar na segurança dos seus clientes.

Muitos hostels aboliram os quartos compartilhados em períodos de coronavírus, outros diminuíram suas capacidades para 50%, alternando as camas.
Analise qual a melhor forma de operar e a que seja segura para todos os usuários.

Em casos de hóspedes com sintomas, isolá-los em quartos privativos, seguindo as recomendações de limpeza informadas anteriormente.

Valor das diárias: aumentar, reduzir ou manter?

Infelizmente não é a hora de querer ganhar dinheiro com os poucos hóspedes que ainda restam na pandemia. O momento é de sobrevivência. Os poucos que ainda estão viajando, é porque possuem motivos específicos.

Como haverá uma diminuição da demanda, automaticamente haverá um aumento da oferta de leitos.

Com isso, baixar os preços dos valores das diárias é uma consequência no mercado. Mas não reduza o valor das tarifas desesperadamente. Monitore as tarifas dos concorrentes diretos que ainda se mantêm abertos e não venda abaixo do seu custo variável.

Uma estratégia interessante para não diminuir muito a diária média é oferecer upgrades de quarto ou serviços adicionais gratuitos.
Caso seu meio de hospedagem esteja fechado, as dicas também valem para o retorno, pois a procura por viagens vai voltar, porém de forma gradual.

Uso de tecnologias para evitar o contato entre colaboradores e hóspedes na pandemia

Existem ferramentas, disponibilizadas pela HQBeds, que ajudam a evitar o contato físico em objetos da recepção, diminuindo os riscos dos colaboradores.

O uso do check in online diminui o risco de contaminação através de canetas, formulários, superfícies utilizadas para o preenchimento de dados etc. O hóspede pode fazer toda a tramitação através do próprio celular, sem contato físico algum na recepção. E, quando ele chegar ao espaço, o check in estará feito, podendo ir diretamente para o quarto, minimizando as chances de contato e de possíveis transmissões.

A HQBeds também possui um módulo de automação de pagamentos, o HQPagamentos. Nele, o cliente pode fazer  pagamento automático através do motor de reservas e cadastrar o cartão de crédito no check in online. Dessa forma, todos os pagamentos, inclusive os consumos, poderão ser descontados com um só click, dentro do sistema. Ou seja, sua recepção não precisa manusear dinheiro ou cartão de crédito do hóspede. Isso diminui o risco de contaminação dos seus colaboradores e aumenta a própria segurança dos hóspedes na pandemia.

Essas foram algumas dicas e recomendações para quem ainda está recebendo hóspedes, e ajudá-los a enfrentar os efeitos e impactos do Coronavírus.

Lembre-se! Essa crise vai passar. O importante é que ela passe com o menor impacto e riscos possíveis.

Compartilhe nosso conteúdo com seus colaboradores e colegas e vamos, juntos, vencer esse momento difícil! Aproveite e assine a nossa newsletter abaixo e receba conteúdos importantes como este em seu e-mail.

 








Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Todos os direitos reservados a HQBeds Privacidade